PRETTY LITTLE LIARS | DE LIVRO À SÉRIE

Saibas as principais diferenças entre o livro e a série de maior sucesso do momento.

ESPECIAL DIA DOS NAMORADOS

Confira os casais que se conheceram nas telinhas das suas séries preferidas.

THE LYING GAME | DE LIVRO À SÉRIE

Saibas as principais diferenças entre a série e o livro da mesma autora de Pretty Little Liars

31 de dezembro de 2014

Novas estreias para marcar na agenda em 2014: Janeiro e Fevereiro



Adeus ano velho, feliz ano novo e bem vinda de volta nossas séries que amamos de paixão e não largamos por nada deste mundo.

Assim como diz o ditado: "Ano novo, vida nova", que venham as novas estreias também, por isso, se você é também um daqueles viciados, maníacos, que mesmo atrasado com milhões de séries, ainda acha tempo para as novas, separe o papel, a caneta e escolha quais series colocar no seu calendário!


Galvant

Que tal uma mistura de Once Upon a Time com High School Musical? Será que se colocar tudo no liquidificador com fermento e chocolate, nasce um bolo bonito?

Pois bem, esta é a nova posta da ABC, que parece crer na formula mágica dos contos de fadas.

A série de Alan Menken e Glenn Slater, narra a história do belo Príncipe Galavant e sua busca por vingança contra o rei que roubou seu único e verdadeiro amor e lutará para recuperar sua reputação e seu "feliz para sempre". Com a mistura do clichê e com uma pitada de comédia a série já está na minha listinha e estará aqui no blog também com a review do primeiro episódio, junto com as primeiras impressões.

Confira o novo vídeo promocional de Galavant!

A série estreia dia 4 de janeiro pela ABC.

Agente Carter

Carter, my name is Peggy Carter. Ok, o mundo das séries está sendo dominado por super heróis, super mutantes, super agentes secretos e depois de Arrow, Flash, Shield, agora teremos mais uma série envolvendo todo este universo.

A série passará em em 1946 e contará a história de Peggy Carter, tentando equilibrar seu trabalho envolvendo missões secreta e o desafio de manter o coração intacto após a perda do seu amor, nosso lindo Capitão América.

Confira o teaser de Agent Carter


Agent Carter estreia dia 06 de janeiro na ABC

Hindsight 


Hindsight acompanhará a vida de Becca, uma mulher que no dia do seu segundo casamento, acorda e descobre que voltou no tempo par o ano de 1995, quando estava prestes a se casar com o primeiro marido. Agora ela precisa decidir se repete sua história ou se muda o rumo de sua vida.



Hindsight estreia dia 07 de janeiro no canal VH1

Empire

Será que vem música boa por aí ou apenas mais uma série de drama familiar? Empire é um drama que conta a história do diretor de um Império da Música, e seus três filhos e a ex-esposa, que lutam entre si pelo trono.

Confira o vídeo promocional da série

A série estreia dia 07 de janeiro na Fox

Togetherness

Mais uma comédia, desta vez da HBO, para vocês colocarem na listinha.

Togetherness gira em torno de Michelle e Brett, um casal que decide dividir a casa onde moram com  Alex, um ator que tenta revitalizar a sua carreira, e com Tina, irmã de Michelle que se encontra numa fase de reestruturação da sua vida, que juntos, formam uma improvável amizade.

Togetherness estreia dia 11 de janeiro pela HBO

Eye Candy

Brilhante Victória é uma série... não pera... Eye Candy tem como protagonista Victoria Justice, que interpreta Lindy, uma jovem hacker que mantém um blog onde expõe ataques terroristas e suspeitos de homícidio. Sem grande vida social, Lindy segue o conselho de Sophia, a sua colega de quarto, para começar um namoro virtual. Mas logo ela descobre que um de seus pretendentes é um perigoso stalker e serial killer, e com a ajuda dos seus amigos, ela começa a investigá-lo.


 A série com a Brilhante Victória estreia dia 12 de janeiro na MTV

12 Monkeys

A série é baseada no filme estrelado por Bruce Willis, em 1995. 

Em um mundo pós-apocalíptico, a população é obrigada a viver nos subterrâneos, após a Terra ter sido atacada por um vírus mortal. A trama girará em torno de Cole, um criminoso condenado que numa tentativa de conseguir absolvição, viaja no tempo para coletar informações sobre o vírus liberado pelo Exército dos Doze Macacos.

12 Monkeys estreia dia 16 de janeiro pelo canal Syfy.

Backstrom 

Na série, o detetive Everett Backstrom, um policial odiado por todos os seus colegas, que tenta modificar seu comportamento auto-destrutivo. Com sua equipe de investigação da Unidade de Crimes Graves, Backstrom segue e tent desvendar os casos mais terríveis de Portland.

Confira o trailer

A séries estreia na fox dia 22 de janeiro

Better Call Saul

Breaking Bad está de volta bitches. Ok, não é Breaking Bad, mas é a spin off e só isto já está dando o que falar!

A série contará o percurso de Saul Goodman até este se tornar o advogado que todos conhecemos em Breaking Bad, ou seja, 6 anos antes. Saul Goodman é conhecido como Jimmy McGill, um advogado de pequenas causas tentando acertar sua vida financeira.

 Better Call Soul estreia dia 08 de fevereiro, na AMC

E então, ja decidiu quais série que estreiam em janeiro e fevereiro irá colocar na sua lista? Conte para a gente!

28 de dezembro de 2014

Orphan Black | Review 2ª Temporada


Ei, pessoal!

Ficamos sempre muito tristes por não podermos atualizar nosso blog, pois nosso tempo é bastante escasso, dividido entre trabalho-faculdade-família-amigos. Ainda assim, sempre tentamos usar o pouquinho do tempo que nos resta para acompanharmos algumas de nossas séries favoritas. Mas, infelizmente, não conseguimos arranjar tempo para todas as séries que amamos. Um exemplo disso, pra mim, é Orphan Black.

A segunda temporada foi lançada em abril de 2014 e, por me conhecer bem, soube que não conseguiria assistir apenas um episódio aqui e outro acolá. Portanto, esperei ter a série completa (e bastante tempo em mãos) pra acompanhar tudo de uma vez, a la Netflix. Obviamente, me arrependi por não ter assistido antes.

Agora, uma recapitulação básica da segunda temporada da série mais ovelhística que já existiu:


19 de dezembro de 2013

2 Broke Girls | Review 3ª Temporada


Pra ser sincera, 2BG já me fez rir muito mais - na primeira metade da primeira temporada, pra ser exata. Porém, a série tem feito seus esforços para manter a dinâmica e a audiência em níveis super bem aceitos.

Pra começar, a terceira temporada marca o recomeço do Max Homemade Cupcakes, agora com sede nos fundos do restaurante Williamsburg. Com as artimanhas - legais ou não hehe - das garçonetes, a cupcakeria (?) tem andado bem.

Outra coisa que veio para mudar um pouco a dinâmica da série foi a entrada de Max na escola de confeitaria - e, consequentemente, a entrada de Caroline como ajudante na escola, a fim de pagar pelo curso.

Mas esses avanços na vida das garotas não foram, ainda, o ponto alto da temporada: Os novos personagens que foram introduzidos são ~INCRÍVEIS~. Vamos conhecê-los? ;)


6 de agosto de 2013

True Blood | Season 6


A sexta temporada de True Blood está a apenas dois episódios de seu fim, mas ainda existem muitas perguntas a serem respondidas.

Esse post possui spoilers da temporada até o episódio 8, exibido em 04/08!

A temporada tá linda, confusa, louca, sangrenta, apelativa... Tá True Blood, gente. Mas, bom, vamos tentar reunir tudo o que aconteceu do começo da temporada até agora na nossa querida Bon Temps - e suas cidades vizinhas, claro.

Tudo começou quando Bill virou Billith no último episódio da quinta temporada. Por quase um ano ficamos pensativos, e dissemos em uníssono coisas dignas de selo de aprovação de Lafayette: WTF, bitches?! O que eles acham que estão fazendo?



No fundo a gente sabia o que estavam fazendo com Bill Compton: Dando destaque pro personagem. Depois da revelação bombástica da traição de Bill, que fingia não saber da "fadisse" de Sookie, o personagem foi sendo apagado aos poucos, até que, em algum momento, precisou de um empurrão. O empurrão foi transformá-lo em um servo de Lilith - e, sim, ficamos um tempão acreditando que Bill tinha se tornado um Deus no lugar de Lilith.

Aí Billith se tornou quase imortal, começou a ter uns piripaques, visões de coisas que iriam acontecer, ideias para salvar seus iguais, e por aí vai. Ele atraiu as fadinhas para sua mansão pra roubar o sangue delas, matou o governador Burnell (YAY!), pôde tomar uma corzinha porque tomou sangue do Warlow (já vamos comentar sobre ele, tá?), ofereceu suas condolências aos Bellefleur, irritou o Eric, fez negócios - negócios MESMO! - com Sookie e... Bom, ele voltou a ser indispensável pra história. E isso nos leva à pergunta: O que será que acontecerá quando Lilith se retirar do corpo de Bill? Será que Bill vai morrer? Voltará a ser o personagem que estava sendo antes? Irá se declarar para Sookie mais uma vez?


E aí, galera?


Cara, não fala do Godric :(

Bem, um personagem que eu nunca dei muuito crédito foi Sam Merlotte, mas ele conseguiu minha simpatia e apoio nesses últimos tempos. Sam têm lutado por sua sobrevivência desde, bem, o primeiríssimo episódio da série. Sempre acontece alguma coisa com Sam: Ele é atormentado por bacantes, pela polícia, por outros metamorfos, por lobisomens, por vampiros, por humanos que sabem do seu segredo, por amor, pela família... O coitado só toma porrada. Mas nessa temporada Sam tem sido o mocinho que luta ao lado de Nicole, personagem que entucharam na história pra poder substituir a insubstituível Luna. Falando sério, já vi um abaixo assinado na internet exigindo o retorno de Luna pra série. E, olha, eu entendo essas pessoas, já que eu também adorava a Luna e o romance dela e do Sammy. 


Sam e a futura mãe do seu ~filhote~ 

Sam agora terá um filho! E provavelmente foi isso que o afastou da ideia de cair aos pés de Sookie no momento em que ela, sem explicações anteriores, tenta engatar um relacionamento com ele. Aí você, como a maioria dos truebies do planeta, assistiu essa cena e mandou Sookie para aquele lugar, apoiando Sam. Se você não faz ideia do porquê dessa cena, eu tenho um palpite, que na verdade é um spoiler dos livros: ATENÇÃO, passe o mouse em cima das próximas palavras! Sookie e Sam acabam juntos nos livros, e os diretores quiseram avaliar a possibilidade de fazer a mesma coisa na série a partir das reações esboçadas pelos fãs.


Tira essa bola daqui -.-

E aí falemos sobre a Miss Stackhouse: Ela. Está. Perdida. Mas não tiro a razão dela. Sério, o que você faria se soubesse que seus pais, que morreram quando você era apenas uma criança, queriam te matar e pensavam que você era uma aberração? Isso já seria o suficiente pra detonar o psicológico de uma pessoa. Agora adicione tudo o que Sook passou nas últimas temporadas, o fato de ela ser uma fada que solta hadouken pelas mãos e ler mentes, um vampiro-fada milenar querer transformá-la em sua esposa-fada-vampira há 6 mil anos, seu ex-namorado vampiro ter se tornado um receptáculo pra 'Deusa' dos vampiros e querer fazer negócio com você pra salvar outros vampiros, seu antepassado ser um fada-Rei, seu colega de trabalho pagar alguém pra matá-lo e seu outro ex-namorado vampiro ter atacado o seu possível-futuro-marido-vampiro-fada-milenar. Ah! Fora o fato de que ela ainda não sabe que seu irmão está preso junto com dezenas de vampiros em um local do governo. Tá difícil pra ela, né?



Sobre Warlow: Antes de o conhecermos como tal, aposto que poucos ligaram sua existência com a do perigoso Warlow. E quando ligamos, UAU. Acabou que Warlow não é o monstro que tinham pintado, ele só é solitário e quer Sook para ele. Fim. Eu não acho que ele sobrevive até o fim da temporada - inclusive, aparentemente ele não morreu no último episódio (oitavo), mas nada impede que matem ele até o décimo episódio. Afinal, será que transformariam a Sook em uma fada-vampira e a deixariam viver feliz para sempre com Warlow? Difícil acreditar.


Warlow Who?

E falando em Eric... Ele está louco de ódio de Bill e do governo, o que significa uma coisa: Ele vai explodir tudo. YAAAAAAY! Nora, sua irmã por parte de Godric, morreu devido à hepatite v injetada pelo governo. Inclusive, eu achei que deveriam mantê-la por perto por pelo menos uma temporadinha... Era legal o jeito que Eric se preocupava com ela, mostrando seu lado humano. Enfim, Eric agora tem poucos motivos (leia-se Pam, apesar dos pesares e, possivelmente, Willa) pra não mandar tudo pras cucuias, mas isso não significa que ele não vá causar um problemão pro governo. Vamos acompanhar.



Mas vamos combinar uma coisa? Eric tá salvando o mundo, pessoal. E ele é quem vai salvar todo mundo no final das contas, provavelmente.




Agora falemos sobre o pessoal que está preso: Tara voltou a ser a mesma Tara de sempre; Jessica deu nos nervos por um certo tempo por causa do caso das irmãs-fada, mas já encontrou um vampiro fofinho pra fazê-la sossegar a periquita (desculpem o linguajar, mas...); Willa ganhou pontinhos comigo quando confrontou seu pai (o falecido governador) e parece que vai ser um personagem até que legalzinho; Jason voltou a fazer as coisas do jeito certo, finalmente! E tô com dó dele por causa da vampira maluca que o pegou pra si :(; Pam está sendo Pam, logo, está sendo magnífica como sempre, mostrando a sua parte frágil nessa temporada.


PAMELA!


Especial família Newlin: Steve sendo sempre o vampiro atrapalhado e que ferra com a vida de todos. Será que ele sobrevive por muito mais tempo? Afinal, querendo ou não, Steve dá todo um ar de comédia pra trama. Sarah parece que tem seus dias contados... Ela tem sido o personagem com maior grau de insanidade da temporada e TB não costuma deixar esse tipo de personagem viver (vide Mr. Burnell - o governador, Franklin Mott - o vampiro sequestrador de Tara, Marnie Stonebrook - a bruxa, Maryann - a Bacante, Drew Marshall - o assassino da primeira temporada, Salome e, o mais importante e maravilhosamente cruel de todos, o Rei do Mississipi, Russell Edginton.).


Espera só eu pegar seu sapato!

Épico, Franklin.

Dear Russell...

Na parte teoricamente pacata de Bon Temps, Terry pagou um antigo colega para matá-lo e deixou 2 milhões de dólares do seguro de vida pra Arlene e seus filhos. Como Arlene irá reagir à morte do marido futuramente é um mistério. Ainda na família Bellefleur, é super legal ver Andy sendo um bom pai para sua única filha sobrevivente, Adilyn, que promete dar um trabalhão pro pai no futuro e ser importante pra parte das fadas/vampiros. Já LaLa está sendo LaLa, babado, confusão e bruxaria como sempre <3


R.I.P. Terry Bellefleur :(

Pra finalizar, fiquei muito feliz quando deixaram Alcide voltar a ser Alcide e deixar de ser o lobo louco por poder e pelo bando. E queria muito que ele tivesse cortado a lobinha chata - não lembro o nome dela! - em milhões de pedacinhos.



A sétima temporada já foi confirmada há umas semanas, o que estava sendo questionado no fim da quinta temporada, que não foi considerada das melhores. A sexta temporada veio pra lembrar os fãs que True Blood é ISSO, e não o que foi a quinta temporada. Agora é esperar que a sétima temporada seja tão boa quanto essa ou ainda melhor, pra que a gente não precise viver sem os nossos personagens maravilhosos por um bom tempo <3

É isso, gente! Vamos esperar o final da temporada pra termos uma ideia do que estará por vir. Beijos, truebies! (PS: Saudades do Fangtasia :()

Orange Is The New Black | REVIEW


Piper Kerman conheceu Vauess, uma traficante, e apaixonou-se por ela. Por isso, ela participou de um esquema de lavagem de dinheiro e acabou sendo, após 5 anos, indiciada por lavagem de dinheiro e tráfico de drogas. Piper entregou-se para a polícia e cumpriu uma sentença de 13 meses em uma prisão de segurança mínima. Seis anos após cumprir sua sentença, Piper escreveu um memoir sobre suas experiências na cadeia, intitulado Orange Is The New Black.


Piper e Larry da vida real! :o

E é essa a origem da série transmitida pelo Netflix - que disponibiliza a temporada inteira, de 13 episódios de 55-60 minutos, de uma vez só. OITNB é uma "dramédia" que mostra a rotina de Piper e das demais detentas (que dão um ânimo na história), além de mostrar como anda a vida de Larry - noivo de Piper - e de Polly - melhor amiga e sócia de Piper - do lado de fora da prisão. 

Apesar de ser uma série que aborda temas como homicídio, racismo, drogas e homofobia, OITNB não é pesada. Ela se utiliza de um humor sutil e mostra uma face bastante humanitária, contando a história dos personagens de forma que os aproxima da realidade dos espectadores. Além disso, ela mostra flashbacks que contam os motivos que levaram as meninas ao presídio, ajudando - e muito! - na dinâmica da série.

E falando das detentas... Bom, elas dão um show com suas histórias, conflitos, amores e piadas. Mas, como imagens falam mais do que palavras, fiquem com alguns gifs:

Daya e seu amado cop <3

Crazy Eyes na loucura de sempre...

Red e o mito da galinha.

Miss Claudette sendo fofíssima...

Larry em crise...

Taystee se preparando :')

Sophie! <3

Piper em crise...

Alex sendo Alex...

Nicky e sua ironia <3 


Tricia e seus problemas...

Sam.

Mas, gente, vamos ser realistas, ok? Não levem o que a série prega - em questão de simpatia pelos personagens e por suas motivações, por exemplo - a ferro e fogo, já que sabemos que isso é, apesar de ser baseado em uma história verídica, a forma que eles conseguem ganhar espectadores. Imaginem uma série que mostra a realidade nua e crua das prisões norte americanas... Seria bastante diferente, né? Logo, assistam por apenas diversão, e não por uma questão de ideologias.

Se a gente aprova? MUITO! Enredo original, atuações super bem feitas, personagens bem construídos, abertura desconcertante, piadas que ligam os trabalhos passados dos atores (como o de Biggs em American Pie!) e imprevisibilidade na medida certa.

Agora vamos ao que interessa... Onde assistir? Bem, se você tem uma conta no Netflix, sinta-se radiante e vá assistir aos 13 episódios sem intervalos! Agora, se você não tem - o meu caso, por exemplo -, existem poucos sites que disponibilizam os episódios legendados, dublados ou em inglês sem legenda. Os episódios legendados são raríssimos e dificílimos de achar, mas esse pessoal aqui tá postando aos pouquinhos (até agora, só os dois primeiros episódios estão disponíveis!). Os dublados são um pouco mais fáceis de achar, e esse pessoal aqui postou até o episódio 8, até agora. Mas se você tem as habilidades pra assistir os episódios em inglês e sem legendas, seu lugar é aqui.

Aberturas | Especial


Pode não parecer mas, pra muitas pessoas, os opening credits - ou créditos de abertura - influenciam bastante na escolha de um seriado. 

As aberturas têm o encargo de passar a mensagem básica da série logo de cara, o que, vamos combinar, não é nada fácil.

Pra começar, existe a escolha da música. As músicas de abertura são, como vocês já devem ter percebido, geralmente feitas especialmente para a série ou pouco conhecidas pelo público (tanto a música quanto a banda, na maioria das vezes). Isso se deve ao fato de que as pessoas já têm conexões emocionais com músicas ou bandas que já conhecem, e isso pode distorcer a visão delas em relação à série. 

A escolha da música é de suma importância, já que é principalmente ela que impulsiona lembranças referentes à série. A música pode ter letras, ou ser apenas instrumental - não importa. O que importa é ela ser boa o suficiente para criar a conexão, tanto emocional (espectador - série) quanto racional (abertura em si - conteúdo da série).

E existe a parte visual. Ela pode consistir em uma sequência de fotos, uma sequência de vídeos, ou apenas um vídeo sequencial. Também pode ser uma espécie de animação ao invés de mostrar os personagens, dependendo da proposta da série.

Infelizmente, algumas séries não possuem créditos de abertura, ou possuem apenas uma pequena vinheta. Twisted, 2 Broke Girls, The Vampire Diaries, Revenge, Lost, Under the Dome, Arrow, The Following e Bates Motel são algumas das séries fazem parte do time. Uma pena, já que existem tantas coisas legais que podem ser feitas :(

Two Broke Girls
Second Chance - Peter, Bjorn and John

Podemos encontrar séries cujas aberturas são ruins, embora isso seja relativo. Uma série que tem a abertura mais 'oi?' ultimamente é a já cancelada Cult, da CW.

Isso me lembra um pouco a TV Cruj, gente.
- Cruj, cruj, cruj, tchau!

Existem aberturas que causam certo incômodo - e isso não significa que sejam ruins, muito pelo contrário. Essas aberturas são as que geralmente melhor transmitem a ideia de uma série que pode causar certo incômodo, também. Exemplos claros são The X-Files, True Blood, Dexter, American Horror Story e Orange Is The New Black, principalmente por suas sequências de imagens.

The X-Files (Arquivo X)
The X-Files - Mark Snow

American Horror Story
(Desculpa, gente, mas eu nem abri o vídeo, tá? Assisti uma vez e achei absurdamente assustadora! Hahahaha)

Orange Is The New Black
You've Got Time - Regina Spektor

Dexter
Dexter Theme Song - Rolfe Kent

True Blood
Bad Things - Jace Everett

E existem séries que têm aberturas que são puro amor. Transmitem a ideia da série, têm músicas e sequências de imagens lindíssimas. Essas, na opinião do WSBR, são:

Gilmore Girls (Tal Mãe, Tal Filha)
Where You Lead (I Will Follow) - Carole King e Louise Goffin

The O.C.
California - Phantom Planet

One Tree Hill (Lances da Vida)
I Don't Want To Be - Gavin DeGraw

Smallville
Save Me - Remy Zero

Beverly Hills 90210 (Barrados no Baile)
(Que tem milhões de versões de aberturas)
Beverly Hills 90210 Theme Song - John E. Davis

90210 (Spin-Off)
Remix de Beverly Hills 90210 Theme Song - John E. Davis


New Girl
Hey Girl - Zooey Deschanel

http://www.youtube.com/watch?v=1xiiCg7oIAo
Baby Daddy
Baby Daddy Theme Song - Autor Desconhecido

http://www.youtube.com/watch?v=KHOBxMGIUis
The Fosters
Where You Belong - Kari Kimmel

The Lying Game (Saudades!)
Gun For a Tongue - Butterfly Boucher

The Walking Dead
The Walking Dead Theme Song - Bear McCreary

Pretty Little Liars
Secret - The Pierces

Cold Case
Nara - E. S. Posthumus

CSI - Crime Scene Investigation
Who Are You? - The Who

CSI - Miami (Spin-Off)
Won't Get Fooled Again - The Who

CSI - New York (Spin-Off)
Baba O'Riley - The Who

Game of Thrones
Game of Thrones Theme Song - Ramin Djawadi

The Big Bang Theory
The Big Bang Theory Theme - Barenaked Ladies

How I Met Your Mother
Hey Beautiful - The Solids

Friends
I'll Be There For You - The Rembrandts

Prison Break
Prison Break Theme Song - Ramin Djawadi

Teen Wolf 
Guta Locks - The 4 Jules

Fresh Prince of Bel Air (Um Maluco no Pedaço)
Fresh Prince of Bel Air Theme Song - Will Smith

Mad Men
RJD2 - A Beautiful Mine

E também temos algumas aberturas diferenciadas, como a de Once Upon a Time que, apesar de consistir em apenas uma vinheta, muda a cada episódio, retratando do que este irá tratar. Necessary Roughness seguia o mesmo estilo de OUAT até o fim da segunda temporada, mostrando acessórios caindo aos pés da doc Dani Santino, fazendo referência a qual era a profissão do paciente que a doutora iria atender no episódio.

(De verdade? Eu adorava a abertura de Necessary Roughness. Fiquei super frustrada com a mudança na terceira temporada.)

Esperamos do fundo do coração que vocês tenham curtido nossa coletânea de aberturas, e que vocês prestigiem essas aberturas tanto quanto a gente! É claro que MUITAS séries ficaram de fora, já que existem muitas aberturas bem legais... A sua preferida ficou de fora? Fala pra gente! ;)

24 de julho de 2013

Hart of Dixie | REVIEW


É com esse friozinho - nesse momento fazem 7º aqui em SP! -, com um balde de pipocas (ou um chocolate quente) e um cobertor super fofinho, é que vou falar sobre a fofíssima Hart of Dixie, da CW, que já conta com duas temporadas.

Confesso que só comecei a assistir HoD por causa da protagonista, a atriz Rachel Bilson - A Summer Roberts, de The O.C. -, mas não foi só por causa dela que continuei a assistir a série.

Seria Zoe a versão mais velha de Summer? :O

Hart of Dixie conta a história de Zoe Hart, doutora recém formada, que aceita trabalhar em uma clínica em uma cidadezinha chamada Bluebell, situada em Alabama. Porém, apenas quando chega na clínica, Zoe descobre que o doutor que a contactou era, na verdade, seu pai biológico, e que ele tinha morrido há pouco tempo, deixando a clínica como herança.

Rachel e suas caras <3

Confusa e sem esperanças de voltar pra sua vida em Nova Iorque tão cedo, Zoe aceita dividir a clínica com um antigo e conservador doutor da cidade, Brick Breeland, e passa a morar em uma das casas do terreno do prefeito - que acaba se tornando seu melhor amigo -, Lavon Hayes.

Awww, Lavon!

Mas nem tudo é tão simples quanto parece para a Dra. Zoe: Bluebell é uma cidade de costumes muito diferentes dos conhecidos por ela, e ela precisa de uma forcinha pra se orientar. É aí que entra George Tucker, o advogado bonzinho e fofinho, que já morou em Nova Iorque. Nem preciso dizer que Zoe se apaixona imediatamente por ele, certo?

Pra quem é #Zeorge...

E essa seria uma belíssima história de fofura se não fosse por Lemon Breeland, a competitiva-louca-ciumenta filha de Brick - e noiva de George. Lemon é uma das responsáveis por arrancar risadas e colocar uma faísca na história de vez em quando, sendo uma personagem extremamente importante pro andamento da série.

Lemon sempre encantadora :')

E existe, é claro, Wade Kinsella. O bartender do único bar da cidade - Rammer Jammer -, vizinho de Lavon e de Zoe, guitarrista, e mulherengo irrecuperável. Wade é o completo oposto de George mas, surpreendentemente, tem uma química incrível com Zoe.

Wade sendo engraçadinho.

Wade sendo apaixonado.

Pra quem é #Zade. <3 <3 <3

O que é legal em Hart of Dixie? Além do cenário e figurino impecáveis (comparados às produções de menor calibre - vulgo $$$), tem um roteiro sensacional e leve, mantendo as características dos personagens e mostrando o crescimento deles durante a trama. Apesar de a história se passar em uma cidade pequena, a sensação é a de que a série tem muito mais movimento do que séries que se passam em cidades grandes.

Com a terceira temporada confirmada - e que irá ao ar em 07/10 -, é legal ver que, apesar de ter uma temática simples, a comédia romântica nas séries é uma temática complicada de se manter, tanto nos números de ibope, quanto numa linha de raciocínio agradável.


A série é gostosa de assistir. Os personagens são bem definidos e o enredo é envolvente. É difícil dar dicas de séries parecidas, já que a maioria das séries que têm bastante romance são, geralmente, mais puxadas pro drama do que pra comédia.

Apesar dessas características, ela não é uma série só pra mulheres, e atinge várias faixas etárias - principalmente 20+, já que Zoe já não é mais uma adolescente, e bla bla bla.

Espero que vocês tenham gostado da nossa review! Cliquem aqui pra ter acesso ao download das duas temporadas disponíveis. E cliquem aqui pra relembrar o post de crossovers impossíveis com a protagonista da série :D